O fim da pandemia em 2022? O que dizem os especialistas

Mulher esperando voo em aeroporto. Ela usa máscara sobre nariz e rosto e ao seu lado há sinalização de distanciamento entre assentos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Todo mundo está esperançoso com o fim da pandemia em 2022, já que a vacinação avançou, não é? Pois é, o mesmo aconteceu no final de 2020, quando as vacinas começaram a ser criadas e cá estamos nós, em dias ainda sombrios.

Gostaríamos muito de dizer que 2022 vai ser o ano em que o mundo todo estará liberto e não existirá mais coronavírus. Mas, infelizmente, não é assim.

Antes de mais nada, não pense que este é um texto que vai te desmotivar. É apenas uma coletânea de pesquisas que reunimos para chegar à conclusão se o fim da pandemia em 2022 vai existir ou não.
Vem com a gente descobrir!

Mulher usando máscara e olhando pela janela com olhar triste e desesperançoso.

A pandemia vai continuar em 2022?

Pelo menos enquanto os números de contágio ainda estiverem altos, as máscaras e álcool em gel ainda existirão em 2022.

O que pode acontecer, na verdade, é que a Covid-19 possa deixar de ter o status de pandemia e passar a ser considerado uma endemia. Algo não menos grave, mas com níveis de contágio em menor escala.

Só não podemos esperar que ela desapareça por completo. Lembra do H1N1? Pois é, ele veio em 2009 e matou muita gente mundo afora. Hoje, existe vacina com reforço anual distribuída gratuitamente para a população, embora não seja obrigatória.

Mas isso não impede que o vírus sofra mutações. Estudos apontam que existem novas cepas do H1N1 – e algumas com potencial pandêmico. Em 7 anos, foram cerca de 179 variações do vírus e a tendência é que ele se adapte cada vez mais.

E o mesmo já acontece com o coronavírus. Em abril de 2021, a Fiocruz havia detectado 92 cepas de Covid-19 apenas no Brasil. Nisso, a Delta e a Ômicron nem estavam em jogo ainda. Ou seja, é meio difícil (e cedo) para dizer que será o fim da pandemia em 2022.

No próximo ano, e por mais algum tempo, o vírus ainda vai circular e mutar muito. Mas com os esforços da ciência, com as vacinas e remédios, ele não deve ser tão transmissível como no começo e nem com sintomas muito graves.

Então, quanto mais pessoas vacinadas, maior será a imunidade geral da população e menos mortes vão surgir por conta da doença.

Qual a diferença entre pandemia, epidemia e endemia?

Falamos no início que para termos o fim da pandemia em 2022, ela precisa se transformar em uma endemia. Você sabe o que isso significa?

A pandemia é quando uma doença se propaga com muita rapidez e se espalha ao mesmo tempo em todo o mundo, atingindo números elevados de doentes. Essa classificação se dá justamente porque afeta vários países e não apenas uma região específica.

Já a epidemia também se refere a uma doença altamente contagiosa, mas diferente da pandemia, ela ocorre em uma comunidade específica. Ou seja, são surtos em várias regiões, mas não em nível global.

Como as coisas estão caminhando em relação à vacinação e remédios, a tendência é que o coronavírus se torne uma endemia. Isso quer dizer que o contágio será mais sazonal, como no inverno, quando a imunidade das pessoas está mais baixa. E os casos aconteceriam de forma mais isolada e não em comunidades inteiras.

E já que estamos falando em remédios, para não dizer que estamos pessimistas, confira agora um pouco sobre as expectativas da indústria farmacêutica.

Cientista usando roupa de proteção e luvas em um laboratório enquanto analisa amostras no microscópio.

Vai ter remédio pra Covid em 2022?

Com o surgimento da Ômicron, vários estudos estão sendo feitos em relação a combinações de vacinas, terceira dose e até mesmo de remédios. É basicamente uma força tarefa para livrar o mundo do coronavírus e, enfim, chegarmos ao fim da pandemia em 2022.

Em novembro de 2021, as farmacêuticas Merck Sharp and Dohme (MSD) e Pfizer anunciaram os resultados de estudos preliminares de remédios contra o coronavírus. Os números foram animadores e é um grande passo rumo a uma solução definitiva.

O normal é que a tecnologia seja compartilhada e outros institutos também produzam as próprias fórmulas. Ou seja, o fim da pandemia em 2022 também pode acontecer por meio de vacinas e dos remédios.

Vai ter isolamento social em 2022?

Depende. É preciso considerar as variantes e as taxas de vacinação em cada país para falar sobre o isolamento social em 2022. Mas não é uma possibilidade que pode ser descartada.

O isolamento e distanciamento social mostraram-se medidas importantes para conter a disseminação do vírus. Caso o número de infectados cresça muito, essa é uma das primeiras medidas que deve retornar, assim como a volta do uso das máscaras – alguns países da Europa e Oceania passaram por isso recentemente.

O mesmo vale para as restrições no exterior. Nada impede que o aumento de casos em diferentes regiões exigam que as medidas de proteção que já experimentamos sejam adotadas. E o fechamento de fronteiras pode ser um deles.

A partir do momento em que o número de casos, variantes e mortes se tornam altamente preocupantes, cabe a cada governo agir da melhor forma para proteger sua população. Inclusive, o passaporte de vacina é, atualmente, essa proteção a nível territorial.

Mulher esperando voo em aeroporto. Ela usa máscara sobre nariz e rosto e ao seu lado há sinalização de distanciamento entre assentos.

O que precisa acontecer para determinar o fim da pandemia 2022?

É animador ver um estado não registrando mortes por dias, não é? Comemoramos e ficamos cada vez mais esperançosos sobre o fim da pandemia em 2022. Mas só isso não basta.

Como dissemos, a crise sanitária atingiu o mundo todo e decretar o fim de uma pandemia não é tão simples assim. Enquanto estiver ruim em algum canto do mundo, todos nós ainda continuamos em risco.

Isso quer dizer que o fim da pandemia em 2022 não vai acontecer pela imunidade de rebanho, como muitas pessoas acreditam. Os cientistas apontam que, na realidade, os casos vão caindo e o vírus encontrará cada vez mais dificuldade em existir frente a tantas pessoas vacinadas e com remédios que ainda serão criados.

Ou seja, se transformará em uma endemia que acontece de tempos em tempos em determinadas regiões, com um número esperado de mortes.

Quando chegar ao nível de endemia, como explicamos acima, poderemos decretar que a pandemia acabou! Mas há especialistas que acreditam que a situação só se resolva em 2023, dando adeus às possibilidades do fim da pandemia em 2022.

Enquanto isso, precisamos nos cuidar e estar atentos às novas variantes. Conheça agora alguns vírus que podem entrar na nossa vida e gerar muito perigo!

Nos vemos lá!

Posts Relacionados

Quer conhecer mais?

Informe seu melhor e-mail abaixo para assinar nossa Newsletter e receber informações sobre lançamentos, novidades e links para as publicações mais recentes.

Logo-ft-start
Asseptgel© Copyright 2020 – Todos os direitos reservados.