Epidemia: entenda como é e como se forma

Pensive unhappy girl suffering from running nose. Young woman covering nose with tissue. Snuffle concept
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Pelo dicionário Aurélio, o significado da palavra epidemia é “doença que, por ser majoritariamente infecciosa e transitória, se espalha ou ataca (com rapidez) grande número de pessoas de uma determinada região ou localidade”.

Traduzindo para termos mais fáceis de entender, a palavra epidemia se refere ao aumento do número de casos de uma doença em uma determinada região, país, estado, cidade ou até mesmo um bairro.

O termo é geralmente usado quando o processo para definir o local ou o número de casos de pessoas infectadas, não ocorre de forma fácil e precisa. Ou seja, a quantidade cresce tão rapidamente em volume e território que é mais difícil estabelecer os parâmetros, por isso a importância de evitar contato em alguns momentos.

Para ficar mais claro, vamos destrinchar alguns níveis possíveis. Uma epidemia a nível municipal acontece quando diversos bairros apresentam uma doença, já a de nível estadual acontece quando diferentes cidades têm casos. Por fim, a epidemia de nível nacional acontece quando há casos em várias regiões do país.

Há inúmeros fatores que podem causar o surgimento das epidemias, como a falta de saneamento básico, hábitos alimentares pouco saudáveis, pouco ou nenhum cuidado com a higiene. Além de fatores externos como as condições climáticas e a poluição que podem propiciar o perfeito cenário para proliferação de alguns vírus e doenças.

Inclusive, falando de fatores externos, há também as doenças transmitidas por outros vetores, por exemplo a Dengue que é causada pelo mosquito Aedes Aegypti. Por isso existem tantas campanhas de prevenção e cuidados para impedir a reprodução do mosquito.

Outro ponto importante a ser levantado é que hoje as epidemias surgem com muito mais facilidade por conta da facilidade de transporte das pessoas e o contato físico frequente. A modernidade trouxe vários benefícios e rapidez na forma como as pessoas se locomovem, mas com isso a transmissão de doenças também acontece de forma bem mais rápida.

Diferença entre epidemia e pandemia

Em um escala de gravidade, a pandemia é o pior dos cenários! Ela acontece quando uma epidemia se espalha por diversas regiões do planeta, ou seja, o vírus é encontrado em vários continentes.

Para ocorrer uma pandemia é necessário que sejam registrados casos da doença em todos os cinco continentes. Não há um número específico que caracterize uma pandemia, mas existem alguns pontos relevantes para análise, como:

  • Grande distribuição geográfica: a doença tem que afetar uma grande proporção territorial;
  • Rastreabilidade do movimento da doença: todo o caminho percorrido pela doença é identificado;
  • Alta taxa de infecção: o nível de infecção se encontra no mais alto grau;
  • Imunidade populacional baixa: quando a imunidade da população é baixa o risco de contágio é maior;
  • Novidade: esse termo é usado quando a doença é causado por um agente nunca antes visto – como é o caso do COVID-19;
  • Gravidade: se refere ao nível de letalidade da doença.

Epidemias conhecidas

Em um panorama histórico, existem epidemias que aconteceram e foram as maiores da história! Uma delas é o de Sarampo, que teve em torno 6 milhões de mortos até 1963, data da descoberta da primeira vacina.

Os sintomas de sarampo variam de febre alta, dor de cabeça, mal-estar, pequenas erupções avermelhadas na pele e inflamação das vias respiratórias. Ao longo dos anos a vacina foi sendo aperfeiçoada erradicando a doença, mas com o movimento anti-vacina tivemos a volta da doença.

Outra doença epidêmica é a Febre Amarela, que causa febre alta, cansaço, calafrios, náuseas, vômitos e diarréia. Mas com auxílio de campanhas de prevenção e vacinação tem sido erradicada.

Um fato muito importante é que o sarampo e algumas outras doenças tem como principal via de contaminação o contato físico. Por isso, é primordial que a higienização das mãos seja feita corretamente todos os dias, mas principalmente em casos de epidemia!

Hábitos que ajudam na prevenção

Agora que já entendemos o que é uma epidemia e o que a difere de uma pandemia, podemos pensar em alguns hábitos que nos ajudam a evitar alguns tipo de doenças. Afinal, a melhor forma de combate é a prevenção: protegemos o mundo e a nós mesmos!

Primeiramente sempre mantenha os hábitos básicos de higiene e uma alimentação saudável para que sua imunidade fique alta. Assim, caso contraia a doença a recuperação é de forma bem mais rápida.

Outro ponto muito importante é sempre manter as mãos higienizadas, lavando-as ou sempre passando álcool em gel. Por isso tenha sempre um ao seu alcance, inclusive, em tempos de Coronavírus (que a transmissão é rápida) tenha cuidado e proteja-se com o álcool em gel sempre que necessário.

E aí, quer saber mais sobre o COVID-19 e formas de prevenção? Continue no nosso blog que preparamos mais um texto sobre isso!

Posts Relacionados

Quer conhecer mais?

Informe seu melhor e-mail abaixo para assinar nossa Newsletter e receber informações sobre lançamentos, novidades e links para as publicações mais recentes.

Logo-ft-start
Asseptgel© Copyright 2020 – Todos os direitos reservados.