O que são bactérias resistentes? Elas sobrevivem ao álcool em gel?

Cientista em seu local de trabalho analisando bactérias em um microscópio.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Depois de epidemias e pandemias, é preciso estar sempre de olho nas bactérias resistentes e na transmissão de doenças. Elas podem vir de todos os lados, por isso nunca foi tão importante se cuidar.

O álcool 70 foi nosso grande aliado no combate à H1N1 e à Covid-19. Mas esses não são os únicos microrganismos poderosos. Algumas bactérias são superpoderosas e conseguem resistir até a tratamentos com antibióticos.

Então, vem com a gente descobrir que bactérias resistentes são essas, como elas agem e qual a melhor forma de combatê-las. Continue a leitura!

Pessoa em laboratório analisando microrganismos em pote de plástico.

O que são as bactérias resistentes?

Bactérias resistentes também podem ser chamadas de superbactérias ou multirresistentes. São aquelas que passam por mutações após o uso incorreto de antibióticos. Mas esse processo de fortalecimento também pode acontecer de forma natural, à medida que elas evoluem.

Sabe quando o médico te receita um antibiótico e te diz pra tomar direitinho por determinado tempo ou até a cartela acabar? Pois é, ele está garantindo que o tratamento seja completo e acabe de vez com as bactérias.

Quando você para o tratamento no meio, esses microrganismos criam resistência e ficam cada vez mais fortes. Pelo menos essa é a forma mais comum de entrar em contato com as superbactérias.

Outra forma é o contágio em hospitais. Elas circulam, se fortalecem em um ambiente já propício e se tornam de fácil transmissão. Um descuido em uma visita ou com profissionais da saúde pode favorecer a contaminação.

Diferença entre vírus e bactérias

Para não confundir, é interessante diferenciar vírus e bactérias. Enquanto os vírus são unicelulares e precisam de um hospedeiro para se reproduzirem, as bactérias conseguem se partir e se reproduzir no ambiente.

E, na verdade, nem todas as bactérias são ruins. Existem algumas no nosso corpo que são ótimas para o funcionamento do intestino e da pele, por exemplo.

Já a Covid-19, com que lidamos por muito tempo, é uma doença causada por vírus. Nesses casos, o uso do álcool em gel conseguiu ajudar muito na prevenção durante a pandemia.

Mas será que ele é assim tão eficaz com as bactérias resistentes? É isso que vamos te contar agora.

Superbactérias sobrevivem ao álcool em gel?

Depende. O álcool em gel é extremamente eficaz para combater vírus, bactérias e fungos. A eficácia é muito alta e ele raramente falha.

Por outro lado, existem algumas bactérias resistentes que exigem um pouco mais de atenção. Salmonella (que provoca intoxicação alimentar), Escherichia coli (presente nas fezes) e Staphylococcus aureus resistente a antibióticos (MRSA) não são combatidos em sua totalidade com álcool em gel.

Então, o que fazer? Para ficar 100% protegido, é importante lavar bem os alimentos e as mãos após usar o banheiro com água e sabão. Daquele jeito que nós já ensinamos aqui.

Em hospitais, onde há maior presença de bactérias resistentes, o uso de espuma antisséptica pode ser bem útil. Além disso, os consultórios têm protocolos próprios para garantir essa segurança.

Cientista em seu local de trabalho analisando bactérias em um microscópio.

Por que as bactérias ficam resistentes?

A resposta é simples: questão de sobrevivência. Assim como qualquer ser, as bactérias passam por mutações e adaptações justamente para continuar vivas e se proliferando.

Exatamente por isso que os estudos científicos não param. Você cria uma forma de lidar com um vírus e bactéria e, tempos depois, descobre que existem cepas e outras variações que tornaram o microrganismo mais forte.

Eles se adaptam para driblar o jeito que encontramos para combatê-los.

Qual é o risco das bactérias resistentes?

Os riscos das superbactérias é um assunto que precisamos estar sempre atentos. Por um lado, os consumidores precisam se preocupar com a higiene e hábitos que não ajudem a criar esse tipo de microrganismo.

Por outro lado, os cientistas precisam estudar com frequência se há mutações. Junto com as empresas de produtos químicos e farmacêuticos, adaptar fórmulas e medicamentos para deixar a população sempre segura.

Como é a transmissão das bactérias?

Depende muito de qual bactéria e qual doença estamos falando. Existem bactérias que são transmitidas pelo ar, pelo consumo de alimentos infectados por superbactérias e até mesmo por meio de relação sexual desprotegida.

E essas doenças podem ser simples ou bem graves, que levam à morte, como é o caso da meningite. Alguns das formas mais comuns de transmissão de bactérias e as respectivas doenças são:

  • Pelo ar: tuberculose, hanseníase e coqueluche;
  • Contato sexual desprotegido: gonorréia e sífilis;
  • Ingestão de água e alimentos contaminados: cólera, hepatite e botulismo.

Como se proteger?

Uma das melhores formas de se proteger contra as superbactérias é manter as vacinas em dia. Muitas doenças transmitidas por bactérias têm cura e podem ser feitas gratuitamente nos postos de saúde, desde a infância.

Outros cuidados como manter as mãos sempre higienizadas, lavar bem os alimentos antes de consumir e beber somente água potável também são essenciais. Da mesma forma, usar preservativo em todas as relações também pode evitar vários problemas.

E quando usar antibióticos, respeite os horários e tempo estabelecidos pelo médico. Bom, isso se a doença responder bem a esse tipo de tratamento.

Pessoa lavando folhas de alface.

Como tratar bactérias resistentes a antibióticos?

As doenças causadas pelas bactérias resistentes necessitam de tratamento especial. Isso porque, como explicamos aqui, elas adquiriram resistência a antibióticos, que são as melhores formas de tratar essas enfermidades.

Nesses casos, só com auxílio médico para saber o diagnóstico e tratamento adequado. Então, o tratamento vai precisar ser individualizado, considerando o estágio da contaminação e o quanto a bactéria está imune aos remédios.

E para manter sua casa sempre limpa e livre dos vírus, bactérias e fungos mais comuns, vale a pena caprichar na limpeza. Mas, antes, saiba quais os melhores produtos para os tipos de superfícies.

Nos vemos no próximo texto!

Posts Relacionados

Quer conhecer mais?

Informe seu melhor e-mail abaixo para assinar nossa Newsletter e receber informações sobre lançamentos, novidades e links para as publicações mais recentes.

Logo-ft-start
Asseptgel© Copyright 2020 – Todos os direitos reservados.